Mais 7 alimentos que podem fornecer mais energia

Embora todos os alimentos forneçam energia, alguns alimentos contêm nutrientes que podem ajudar a aumentar seus níveis de energia e manter seu estado de alerta e concentração ao longo do dia.

Aqui está a segunda parte da lista de alimentos que comprovadamente ajudam a promover os níveis de energia.

 

Água

Água é essencial para a vida. Está envolvido em muitas funções celulares, incluindo produção de energia.

Não beber água suficiente pode levar à desidratação, o que pode retardar as funções corporais, deixando você se sentindo lento e cansado.

Beber água pode dar-lhe um impulso de energia e ajudar a combater a sensação de fadiga.

Você pode evitar a desidratação bebendo água, mesmo se não estiver com sede . Tente beber água regularmente ao longo do dia.

 

 

Chocolate Amargo

O chocolate escuro tem um teor de cacau mais alto do que o chocolate normal ou ao leite.

Os antioxidantes do cacau demonstraram ter muitos benefícios para a saúde, como aumentar o fluxo sanguíneo por todo o corpo.

Esse efeito auxilia no fornecimento de oxigênio ao cérebro e aos músculos, o que melhora sua função. Isso pode ser especialmente útil durante o exercício.

Além disso, o aumento do fluxo sanguíneo produzido por antioxidantes no cacau pode ajudar a reduzir a fadiga mental e melhorar o humor.

O chocolate amargo também contém compostos estimulantes, como teobromina e cafeína, que comprovadamente aumentam a energia mental e o humor.

 

 

Erva-mate

A erva-mate é uma bebida feita com as folhas secas de uma planta nativa da América do Sul. Foi demonstrado que tem muitos benefícios para a saúde.

A erva-mate contém antioxidantes e cafeína. Uma xícara normal de 8 onças pode oferecer cerca de 85 mg de cafeína, que é semelhante à quantidade em uma xícara pequena de café.

A cafeína da erva-mate promove a produção do hormônio epinefrina, que aumenta a energia. No entanto, ao contrário de outros estimulantes, a erva-mate não parece afetar a pressão arterial ou a frequência cardíaca.

A pesquisa com animais sugeriu que a erva-mate pode melhorar o foco mental e o humor.

 

 

Goji berries

As bagas de Goji são utilizadas na medicina chinesa há séculos devido aos seus múltiplos benefícios .

Além de ser embalado com antioxidantes, vitaminas e minerais, esta fruta é conhecida por ser uma boa fonte de fibras.

A pesquisa sugeriu que o suco de goji pode fornecer proteção antioxidante.

Além disso, as bagas de goji são ricas em fibras. Uma porção de 1 onça (28 gramas) fornece 2 gramas de fibra. Isso pode ajudar a retardar a digestão e liberar energia lentamente.

As bagas de Goji são fáceis de saborear misturadas com iogurte, smoothies, assados ​​e molhos. Ou você pode simplesmente comê-los crus.

 

 

Quinoa

Quinoa é uma semente popular por seu alto teor de proteínas, carboidratos e fibra alimentar, bem como por suas muitas vitaminas e minerais.

Mesmo que este superalimento seja rico em carboidratos, ele tem um índice glicêmico baixo, o que indica que seus carboidratos são absorvidos lentamente e podem fornecer uma liberação sustentada de energia.

Além disso, a quinua é rica em manganês, magnésio e folato.

 

 

Farinha de aveia

A aveia é um cereal integral que pode fornecer energia de longa duração.

Ele contém beta glucana, uma fibra solúvel que forma um gel espesso quando combinada com água. A presença deste gel no sistema digestivo retarda o esvaziamento do estômago e a absorção de glicose no sangue.

Além disso, a aveia é rica em vitaminas e minerais que auxiliam no processo de produção de energia. Estes incluem vitaminas B, ferro e manganês.

A combinação de todos esses nutrientes torna a aveia um alimento perfeito para a liberação sustentada de energia.

 

 

Iogurte

O iogurte é um excelente lanche para alimentar o seu dia.

Os carboidratos do iogurte estão principalmente na forma de açúcares simples, como lactose e galactose. Quando decompostos, esses açúcares podem fornecer energia pronta para uso.

Além disso, o iogurte é repleto de proteínas, o que ajuda a retardar a digestão dos carboidratos, retardando assim a liberação de açúcares no sangue.